Criando uma experiência digital-first para seus clientes

Saiba mais sobre as mudanças digitais nas compras do consumidor, como se tornar um negócio digital-first e soluções de comércio flexíveis para possibilitar melhores experiências.

O que significa digital-first?

“Digital-first”. O termo tem sido usado muito atualmente, mas o que ele realmente significa e como se relaciona com seu negócio? “Digital-first” refere-se à necessidade de ser, pensar e criar experiências de compra com uma mentalidade que seja, primeiramente, digital. Essa abordagem reconhece que o cenário digital e as expectativas dos compradores estão mudando mais rápido do que nunca e que as empresas devem inovar para acompanhá-los.

Por que digital-first?

Os consumidores consideram o atrito relacionado às compras na loja não apenas como um inconveniente, mas como uma preocupação real com a segurança. Os estabelecimentos comerciais neste ambiente devem fazer mais para garantir que as jornadas de compras dos consumidores – seja on-line, em loja ou uma experiência omnichannel – sejam descomplicadas e eficientes, desde a navegação até a conclusão do pedido.

Os pagamentos ganharam uma importância única ao se considerar a grande diminuição do tráfego presencial e o aumento da ansiedade em concluir pedidos mais rapidamente. Sistemas robustos e integrados não só garantem que as visitas dos clientes sejam mais fluídas, mas podem ser fundamentais para que eles continuem voltando.

O desafio do comércio digital

O verdadeiro desafio no comércio digital atualmente é a desconexão entre a experiência do consumidor e a experiência do negócio. De um momento para o outro, esperava-se que o seu negócio oferecesse uma experiência digital-first impecável. Mas isso é difícil de ser feito quando a sua própria infraestrutura interna é composta por diferentes sistemas, silos, soluções alternativas e dados insuficientes.

 

O índice global de compras digitais

Vimos recentemente uma grande evolução na forma como os consumidores fazem compras. Passaram a usar canais online desde o início da pandemia, e pretendem manter muitos dos hábitos de compras digitais que adotaram, à medida que a economia se recupera. O Índice Global de Compras Digitais 2020, uma colaboração entre a PYMNTS e a Cybersource, revela as principais tendências de compras do consumidor nos EUA, Reino Unido, Austrália e Brasil.

Veja no nosso estudo como os canais e recursos digitais estão transformando a dinâmica das compras de varejo agora.

Índice de compras do Brasil

Com base em pesquisas feitas com 2105 consumidores e 502 comércios no Brasil, a parcela de consumidores brasileiros que consideram os canais digitais seu método preferido de compras aumentou em mais de 30%, totalizando 46% dos consumidores em geral.

Índice de compras dos EUA

Com base em pesquisas feitas com mais de 2170 consumidores e 500 comércios nos EUA, esta edição destaca como os consumidores têm menos paciência com atrito em experiências de compras.

Índice de compras da Austrália

Com base em uma pesquisa feita com 1899 consumidores e 585 comércios australianos, esta edição mostra que as jornadas de compras digitais aumentaram em 25% desde o início da pandemia.

Índice de compras do Reino Unido

Pesquisas feitas com mais de 2000 consumidores e 560 comércios do Reino Unido indicam que 46% dos consumidores do Reino Unido agora preferem começar suas compras digitalmente.

Destaques do relatório do Brasil

Nossas pesquisas mais recentes indicam que uma parcela significativa de consumidores no Brasil passou a frequentar canais de compras digitais desde o início da pandemia, assim como tem ocorrido em economias avançadas ao redor do mundo.

  • A parcela de consumidores brasileiros que consideram os canais digitais seu método preferido de compras aumentou em mais de 30%, totalizando 46% dos consumidores em geral. 
  • Os consumidores no Brasil são grandes utilizadores de dispositivos móveis, sendo que 20% das pessoas disseram ter usado dispositivos móveis nas suas compras mais recentes, o dobro daqueles que disseram ter usado computadores. 
    • A incidência de compras por dispositivos móveis aumentou drasticamente durante a pandemia: A parcela que usa opções móveis nativas e opções de canais cruzados cresceu 36% – uma nítida diferença em relação aos outros mercados estudados, onde o uso do canal móvel declinou em comparação a canais online. 
  • A adoção digital também é liderada por consumidores mais jovens e de alta renda–algo que tem implicações significativas para os estabelecimentos comerciais, considerando-se que a maioria da população do país tem menos de 34 anos de idade.

Por que a Cybersource?

 

 

A Cybersource é o caminho rápido para uma solução de pagamentos digital-first unificada. Ela funciona porque você finalmente consegue uma solução que atribui a mesma importância, tanto para a experiência do comércio quanto para a experiência do consumidor – para você poder proporcionar melhores experiências em todos os sentidos. Para tanto, você precisa de:

Mais opções

uma plataforma modular que lhe dá os elementos necessários para fazer negócios facilmente com qualquer pessoa, através de qualquer canal, usando qualquer tipo de pagamento, com qualquer credenciador (perfeitamente alinhado com os seus sistemas e processos proprietários em todo o mundo).

Mais informações

uma visão mais clara do que está por vir e uma visão única de 360 graus dos seus clientes e seu comportamento de compra em todos os canais e mercados (some-se a isso as melhores práticas globais e ajuda especializada no desenvolvimento de melhores experiências).

Uma abordagem mais completa

uma plataforma de pagamentos que gerencia e monitora todas as suas operações através de uma única conexão em nuvem (e o apoia com um serviço de alta tecnologia, mais a força e a confiabilidade da infraestrutura da Visa).

Descubra por que 468.000 comércios1 em todo o mundo confiam na Cybersource para soluções digital-first.


1
Em 30 de setembro de 2020; incluindo Cybersource e Authorize.net.

INICIAR

Interessado? Vamos conversar.